Mapa do SiteOutlook Mail

Controlador do Piauí é eleito para Junta Fiscal do CONACI

PDF Imprimir E-mail

 

alt

Darcy Siqueira, foi eleito para compor a Junta Fiscal da entidade. Segundo ele,  a reunião foi essencial também para que fossem discutidos temas relevantes, como a implementação nos Estados da Lei de Acesso à Informação (LAI).

O controlador apresentou aos presentes o posicionamento atual do Piauí no tocante à adaptação aos critérios da LAI, que está avançando. “Uma minuta está sendo preparada para que as adaptações que faltam possam ser feitas o mais rápido possível, além de que estamos planejando treinamentos no sentido de que a lei possa ser realmente cumprida com a agilidade para a qual foi criada”, informou Darcy Siqueira.

A reunião contou com a presença de controladores internos de diversos Estados e do Distrito Federal, além de representantes de 27 órgãos e convidados. Teve como principal objetivo debater questões relativas aos avanços do controle interno, tratar assuntos administrativos do Conselho e apresentar ações na área de transparência e monitoramento de gastos públicos.

Após 1ª etapa de reunião, os membros do Conaci seguiram para o Museu Palácio Floriano Peixoto, no Centro, onde foram recebidos pelo governador do Estado, Teotônio Vilela Filho. Na oportunidade, o gestor falou da importância do controle interno para o desenvolvimento do

Estado e convidou os membros do conselho para um almoço. “Todo gestor tem ansiedade para ver resultados e os controladores possuem a função de fiscalizar e monitorar para que as ações ocorram da forma correta e no período previsto. São trabalhos que beneficiam os brasileiros e para nós que prezamos a transparência é muito importante recebê-los”, disse.

Em nome dos controladores, a presidente do Conaci e secretária de Estado de Controle e Transparência do Espírito Santo, Angela Silvares, afirmou que a reunião também foi importante para conhecer as ações do Estado. “Alagoas sempre nos recepciona bem e faz parte justamente de uma gestão comprometida com metas e resultados, e o programa “Alagoas Tem Pressa”, que conhecemos durante a reunião, é um exemplo disto”. Durante a reunião, o secretário de Prevenção da Corrupção e Informações estratégicas da Controladoria Geral da União (CGU), Sérgio Seabra,  falou sobre a estrutura e funcionamento do órgão de controle

nacional e o programa Brasil Transparente que possui o objetivo de incentivar a Lei de Acesso no país. O Brasil Transparente é um programa pelo qual o governo federal oferece apoio aos Estados na implementação da Lei de Acesso à Informação (LAI), agindo diretamente com relação à transparência ativa e implementação dos portais de transparência.

De acordo com Cláudia Taya, diretora de Prevenção da Corrupção da CGU, as ações preveem capacitações presenciais e virtuais de agentes públicos, a disponibilização das cartilhas sobre a Lei de Acesso e a criação de fóruns para troca de informações. As últimas atividades previstas na programação ocorreram na Seplande, Centro, onde os membros do Conaci conheceram a sala de monitoramento do programa “Alagoas Tem Pressa” e tiveram a oportunidade de acompanhar a explanação do coordenador de gerenciamento financeiro do

Banco Mundial, Joseph Kizito. Ele falou das possibilidades do Banco Mundial em fortalecer os órgãos de controle interno brasileiro por meio de modernização de metodologias de auditoria interna e externa, facilitar trocas de experiências e fornecer investimentos.

O último dia da 6ª Reunião Técnica do Conselho Nacional de Controle Interno em Alagoas (RTC-AL) foi marcado pela participação do secretário de Prevenção da Corrupção e Informações Estratégicas da Controladoria Geral da União (CGU), Sérgio Nogueira Seabra; da

diretora de Prevenção e Combate à Corrupção da CGU, Claudia Taya; da agente fiscal do Tesouro do Estado do Rio Grande do Sul e coordenadora de Auditoria Setorial do Estado, Susana Fagundes Garcia; e do coordenador de Gerenciamento Financeiro do Banco Mundial, Joseph Kizito.

A próxima reunião acontece no Espírito Santo, em 27 de junho.

Escrito por Gilliard Cardoso Léda   
 

Adicionar comentário

Será rejeitada a mensagem que desrespeitar a lei, apresente linguagem ou material obsceno ou ofensivo, seja de origem duvidosa, tenha finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do sítio. A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores.


Código de segurança
Atualizar