Mapa do SiteOutlook Mail

CGE capacita escolas para aquisição de gêneros alimentícios

PDF Imprimir E-mail

Iniciou nesta terça-feira (10) e segue até quarta-feira (11), na Escola Fazendária, o treinamento sobre processo licitatório para aquisição de gêneros alimentícios das Escolas de Tempo Integral. A capacitação é uma iniciativa da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) em parceria com a Controladoria-Geral do Estado (CGE) para formar servidores capazes de atuar nas áreas de licitações e contratos, execução e prestação de contas de recursos no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE.

cge-seduc-capacita

CAPACITASEDUC3

A secretária de Educação, Rejane Dias e o controlador-geral do Estado, Nuno Bernardes estiveram presentes no primeiro dia de evento. De acordo com Nuno Bernardes, a capacitação tem caráter pedagógico e preventivo, dando segurança aos gestores das escolas quanto à correta execução do processo licitatório. 

CAPACITASEDUC1

“O Piauí estava deixando de receber muitos recursos oriundos do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). Além de ter prejuízo financeiro, alguns professores estavam começando a ter problemas na prestação de contas, porque muitas vezes, os ex-gestores não realizaram esse trabalho preventivo, de gerenciamento de recursos, não por má fé, mas por falta de informação. Por isso, se faz necessário o treinamento preventivo, prévio. Essa foi uma preocupação da secretária Rejane Dias, que implementou a figura do coordenador financeiro, para dar subsídio ao diretor no intuito de ter segurança na aplicação dos recursos, de modo que ele se preocupe com sua atividade principal, que é o pedagógico. Portanto, esse treinamento visa muni-los de todas as informações necessárias para dar tranquilidade para executar recursos, com segurança,”, assegurou o controlador.  

Para Rejane Dias, a designação de técnicos administrativos nas escolas vêm a contribuir para a regularidade das prestações de contas, possibilitando o recebimento de recursos para desenvolvimento de ações educacionais.  A secretária também informou que foi criada uma comissão que envolve CGE e Seduc para normatizar o gasto com merenda escolar nas escolas. 

“Nos reunimos com a CGE e vimos que precisávamos criar uma forma de melhorar o processo de licitação com relação à merenda escolar dentro das escolas. Por isso, foi criada uma Comissão de Licitação, que envolve CGE e Seduc, para nos adequar à Lei de Licitações e Contratos, que rege a Administração Pública. Temos que seguir a exigência dessa norma legal. As mudanças que estão havendo são uma preocupação com os gestores das escolas para que não tenham dificuldades quanto à prestação de contas”, ressaltou Rejane Dias, ao informar que o trabalho vai começar com um projeto piloto nas escolas de tempo integral com o objetivo de normatizar o gasto dos recursos da merenda escolar.

CAPACITASEDUC4

O treinamento sobre processo licitatório para aquisição de gêneros alimentícios das escolas de tempo integral trouxe no primeiro dia, duas palestras. A primeira, proferida pelo auditor governamental André Batista, com o apoio da auditora Carla Elmira, abordou os principais aspectos da Lei Nº 8.666/90, sobre realização de licitações e contratos na administração pública. À tarde, foi a vez do auditor governamental Kilmer Távora abordar sobre o processo de despesa no Estado. 

CAPACITASEDUC5

Nesta quarta-feira (11), o auditor governamental Francinelson Costa, gerente de Auditoria da CGE, vai apresentar aspectos importantes quanto à fiscalização de contratos. Haverá ainda, no turno da tarde, uma palestra sobre prestação  de contas, proferida por Maria das Dores e Silva, técnica em prestação de contas. 

CAPACITASEDUC2

 

Escrito por Virgínia Santos   
 

Adicionar comentário

Será rejeitada a mensagem que desrespeitar a lei, apresente linguagem ou material obsceno ou ofensivo, seja de origem duvidosa, tenha finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do sítio. A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores.


Código de segurança
Atualizar