Mapa do SiteOutlook Mail

CGE acompanha trabalho da Sesapi para dimensionar custos na saúde

PDF Imprimir E-mail

Controlar despesas para garantir a eficiência dos gastos e dos serviços da Saúde. Com este objetivo, auditores da Controladoria-Geral do Estado (CGE) vão acompanhar a Secretaria de Saúde do Estado (Sesapi) no trabalho de dimensionamento de despesas nos hospitais da rede pública estadual.
Nesta quinta-feira (01), o Núcleo de Economia da Secretaria de Saúde do Estado (Sesapi) apresentou ao secretário de Saúde, Francisco Costa, e a auditores da CGE um levantamento de custos dos hospitais estaduais Dirceu Arcoverde (Parnaíba), Tibério Nunes (Floriano) e Justino Luz (Picos). De acordo com o secretário, a Sesapi visa implantar o sistema Apura SUS, do Ministério da Saúde, que busca promover a cultura da gestão de custos nos hospitais e unidades de saúde no Brasil.
O estudo apontou que a falta de informações gerenciais consistentes é uma das principais dificuldades encontradas nos hospitais, que dificulta o planejamento de ações. De acordo com o secretário de Saúde do Estado, Francisco Costa, o principal objetivo do Governo é conhecer as despesas e otimizá-las para oferecer melhores serviços à população. 

cge-saude

“A proposta e o desejo do governador é poder dimensionar melhor qual o custo de cada unidade e otimizar essas despesas, identificando onde, por ventura,  estivermos tendo excesso de gastos, o que fazer para diminuir recursos, mas sem perder capacidade de oferta de serviços.  Portanto, a parceria da Sesapi e CGE é importante para que possamos, juntos, buscar a melhor forma, de modo que esses dados da mensuração dos custos dos hospitais possam nos dar um embasamento para um planejamento mais adequado das ações do governo do Estado no âmbito da saúde”, afirmou.

cge-saude2
O gerente de Acompanhamento da Gestão da CGE, Francisco Feitosa; o controlador-geral adjunto, Décio Moura e os auditores Marcos Honorato e Hamon Stelitano participaram da reunião onde puderam acompanhar os resultados do estudo.
O auditor governamental Marcos Honorato explicou que a ideia inicial é adquirir o sistema de gestão de custos já utilizado pelo Ministério da Saúde ou aperfeiçoar o sistema já existente na Sesapi. Mas de acordo com ele, outra possibilidade é o suporte técnico da CGE para desenvolver um sistema semelhante capaz de reunir esses dados. 
“A Sesapi quer conhecer os custos para gerenciá-los melhor e a CGE quer acompanhar essa gestão. De início, vamos ver se é possível aproveitar as ferramentas já existentes, ou vamos implantar um próprio, já que a CGE tem desenvolvido algo semelhante, por meio do mapeamento dos processos de trabalho realizado em alguns órgãos do Estado”, disse.

Escrito por Virgínia Santos   
 

Adicionar comentário

Será rejeitada a mensagem que desrespeitar a lei, apresente linguagem ou material obsceno ou ofensivo, seja de origem duvidosa, tenha finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do sítio. A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores.


Código de segurança
Atualizar