Mapa do SiteOutlook Mail

Auditores da CGE PI apoiam a Campanha Conselheiro Cidadão

PDF Imprimir E-mail

CGE-CAMPANHA-CONSELHEIROCIDADAO

Auditores da Controladoria-Geral do Estado do Piauí (CGE PI), participaram na manhã desta segunda-feira (15) do lançamento da Campanha Conselheiro Cidadão. O evento reuniu cerca de 30 entidades, entre elas a Associação dos Auditores Governamentais do Poder Executivo do Estado do Piauí (AAGEPI), representada por seu presidente, Francisco Feitosa, e pelo Controlador-Geral do Estado, Darcy Siqueira.

A campanha objetiva escolher os Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE PI) através de critérios técnicos e não como troca de acordos político-partidários. O Controlador-Geral do Estado e o presidente da AAGEPI declararam apoio à campanha.

Na ocasião, Siqueira foi convocado a falar e destacou a importância da campanha, por conhecimento de causa, uma vez que já foi auditor da Corte de Contas entre os anos de 1995 a 2005. Além de defender o movimento, o Controlador-Geral do Estado disse que vivenciou a época em que os cargos eram ocupados, em sua maioria, por comissionados (livre nomeação e exoneração) e ressaltou a importância de um corpo técnico efetivo, selecionado pela meritocracia.

DARCY-CAMPANHACONSELHEIRO

“Assim como a CGE, o TCE é um órgão técnico e o cargo de conselheiro precisa ser ocupado seguindo efetivamente os critérios estabelecidos na Constituição Federal, afastando-se a figura de troca em acordos político-partidários, sem qualquer diálogo social. Hoje, o TCE do Piauí é reconhecido nacionalmente, em virtude da excelência profissional que os técnicos concursados desempenham no seu mister. Embora pareça difícil, toda caminhada só começa com o primeiro passo. Precisamos lutar e ter apoio da sociedade para alcançar esse objetivo”, defende.

A Constituição determina que a vaga de conselheiro seja ocupada por qualquer pessoa, desde que atenda aos critérios como idoneidade moral, reputação ilibada, notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e financeiros, ou de administração pública, com experiência comprovada por meio de função ou da efetiva atividade profissional que exija tais conhecimentos, pelo período mínimo de dez anos.

 

 

 

Escrito por Virgínia Santos   
 

Adicionar comentário

Será rejeitada a mensagem que desrespeitar a lei, apresente linguagem ou material obsceno ou ofensivo, seja de origem duvidosa, tenha finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do sítio. A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores.


Código de segurança
Atualizar