Mapa do SiteOutlook Mail

Auditores da CGE participam de curso de combate à corrupção

PDF Imprimir E-mail

Iniciou nesta terça-feira (26), em Teresina, o curso de Capacitação e Treinamento para o Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro, voltado para os órgãos que compõem a Rede de Controle da Gestão Pública no Piauí. Dezenove auditores governamentais da Controladoria-Geral do Estado (CGE) participam do evento que acontece até a sexta-feira (29).

curso-rede2

O curso é promovido pelo Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, no âmbito do Programa Nacional de Capacitação e Treinamento para o Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (PNLD) e está sendo organizado em parceria com a Rede de Controle no Piauí.

Para o controlador-geral do Estado, Nuno Bernardes, a capacitação dos auditores é uma das diretrizes da Controladoria e de suma importância para atuação no âmbito do controle interno.

“Vinte e cinco por cento dos nossos servidores estão nesta capacitação e a política da Controladoria é incentivar seus auditores a estarem sempre se qualificando e adquirindo conhecimento técnico, dentro das possibilidades que o Estado dispõe”, ressaltou.

O representante da Rede de Controle, Leonel Alves de Melo, destacou que o curso capacita os servidores que integram a Rede no sentido de aprimorar técnicas de investigação que vêm sendo realizadas no Piauí, com base na análise de dados.

“Nós já atuamos dessa forma, mas precisamos estar sempre atualizados ao que tem de mais moderno. Novas práticas estão surgindo e as boas experiências também, a exemplo da Operação Lava Jato. E o objetivo desse curso é aprimorar nossas técnicas e utilizá-las nas investigações e trabalhos de controle no Piauí. Vale ressaltar que a Rede de Controle no Piauí não é só discurso de que os órgãos estão integrados. Essa integração funciona na prática, tanto com as operações de combate à corrupção que temos visto do ano passado para cá (Pastor, Déspota, Sesmaria, Escamoteamento, entre outras), quanto com a realização de eventos como este, de capacitação para servidores”, disse.

Ao todo, 132 servidores serão capacitados ao longo dos quatro dias de evento. Entre os palestrantes, incluem profissionais do mais alto gabarito com vasta experiência no combate à corrupção. A exemplo do diretor do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional, Luiz Roberto Ungaretti, que abriu o ciclo de palestras na terça-feira.

curso-rede1

De acordo com ele, embora haja uma escassez de recursos voltados para a atuação em investigações de combate à corrupção e lavagem de dinheiro, é possível dar prosseguimento às investigações com uso de recursos humanos e tecnológicos disponíveis.

“Hoje, a escassez de recursos é uma realidade e não adianta achar que o dinheiro [para investigações] vai vir. Então, a maneira mais efetiva é justamente reunir esforços entre os órgãos e utilizar seus recursos humanos e tecnológicos disponíveis para atuação eficaz na prevenção e repressão da criminalidade, no combate à corrupção”, destacou. 

No primeiro dia, também estiveram presentes o promotor de Justiça do Estado de São Paulo, Richard Gantus e o especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional, Rodrigo Sagastume.

Temas relacionados

O curso de capacitação de combate à corrupção inclui 13 palestras que trazem desde aspectos jurídico-penais da lavagem de dinheiro e outras questões jurídicas que envolvem o tema, até técnicas de investigação, acordos de cooperação jurídica internacional e casos práticos. 

Escrito por Virgínia Santos   
 

Adicionar comentário

Será rejeitada a mensagem que desrespeitar a lei, apresente linguagem ou material obsceno ou ofensivo, seja de origem duvidosa, tenha finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do sítio. A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores.


Código de segurança
Atualizar